mão dada

mão dada

observo as linhas da minha mão
correndo águas
a linha do amor do dinheiro
 
qual será a linha
da loucura
 
o rio de traços finos
falhos
tremidos
que revelam a mente sã
 
ensandecida
 
qual será a linha da loucura
na palma da minha vida
 
qual será a veia herdada
vendo a marca infligida
 
qual será a linha
louca
que corta o rio
da minha mão
 
da minha mãe
por quem fui
parida
 
doze horas em trabalho
de partida
só pra nascer
com o carimbo da mão
em linha
enlouquecida
 
qual será
essa
loucura
costurada
essa linha
desmedida
essa
palma
bordada
 
eu olho os rios da minha mão
e enlouqueço
calada
 
– Poema do meu livro “Um buraco com meu nome
 
Compre meu livro “Um buraco com meu nome”: www.loja.jaridarraes.com