Biografia Completa

Jarid Arraes nasceu em Juazeiro do Norte, cidade localizada na região do Cariri, interior do Ceará, em 12 de Fevereiro de 1991. Desde a infância teve forte contato com a literatura, sobretudo pela influência do seu avô, Abraão Batista, e de seu pai, Hamurabi Batista, ambos cordelistas e xilogravadores.

Cresceu entre manifestações de cultura tradicional nordestina, frequentando o Centro de Cultura Popular Mestre Noza, associação de artesãos que existe até hoje, mas suas influências literárias não se limitaram ao cordel; leitora de grandes poetas, buscava os livros de Carlos Drummond de Andrade, Paulo Leminski, Manuel Bandeira e Ferreira Gullar como principais interesses. No entanto, foi percebendo, enquanto crescia, que seu acesso a obras de escritoras era precário, o que lhe trouxe motivação para pesquisar e conhecer mulheres que marcaram a história não só como autoras e poetas, mas nas mais diversas áreas do conhecimento, principalmente mulheres negras, que percebia serem ainda mais esquecidas das escolas e mídia.

Começou a publicar seus escritos aos 20 anos de idade, no blog Mulher Dialética. Logo passou a colaborar em blogs como o Blogueiras feministas e o Blogueiras Negras e em 2013 se tornou colunista da Revista Fórum, onde manteve o blog Questão de Gênero até Fevereiro de 2016. Na Revista Fórum, atuava também como jornalista e escrevia matérias sobre as mais diversas ramificações dos Direitos Humanos, como feminismo, movimentos de luta contra o racismo, direitos LGBT, entre outros.

Jarid Arraes escritora livro poemas cordel biografia
Jarid Arraes (2018 – orelha do livro Um buraco com meu nome)

Jarid morou em Juazeiro do Norte/CE até 2014 e participou de coletivos regionais, como o Pretas Simoa (Grupo de Mulheres Negras do Cariri) e o FEMICA (Feministas do Cariri), o qual fundou. Em dezembro de 2014 mudou-se para São Paulo, onde passou a fazer parte da ONG Casa de Lua até o seu fechamento.

Em Julho de 2015, Jarid Arraes publicou “As Lendas de Dandara”, seu primeiro livro em prosa e em edição independente que contou com ilustrações de Aline Valek. Em menos de 1 ano, a tiragem foi completamente esgotada e a obra foi republicada em dezembro de 2016 pela Editora de Cultura. O livro nasceu da necessidade de resgatar a história de Dandara dos Palmares, contada como esposa de Zumbi dos Palmares, e tem a proposta de misturar lendas e fantasia com fatos históricos sobre a luta quilombola no período da escravidão no Brasil.

Jarid Arraes também criou o Clube da Escrita Para Mulheres em outubro de 2015, realizando encontros periódicos com o objetivo de encorajar mulheres que escrevem ou desejavam começar a escrever. O Clube da Escrita Para Mulheres é um projeto gratuito que se expandiu em 2017 e se tornou um coletivo contando com a participação de outras integrantes e escritoras. Jarid geriu o Clube da Escrita Para Mulheres até Fevereiro de 2019.

Além do livro “As Lendas de Dandara”, suas obras mais conhecidas são os cordéis da Coleção Heroínas Negras da História do Brasil; neles, são resgatadas biografias de grandes mulheres negras que marcaram a história brasileira, como Antonieta de Barros, Carolina Maria de Jesus, Tereza de Benguela, Laudelina de Campos, entre outras. A autora também possui cordéis infantis, como “A menina que não queria ser princesa” e “A bailarina gorda” e “Os cachinhos encantados da princesa”.

Em Junho de 2017, Jarid lançou o livro “Heroínas Negras Brasileiras em 15 cordéis” pela Pólen Livros e realizou eventos de lançamento em São Paulo e no Rio de Janeiro, ambos recorde de vendas da Blooks Livraria com exemplares totalmente esgotados. Ainda em 2017, no dia 12 de outubro, a atriz e cantora Thalma de Freitas apresentou um espetáculo musical interpretando o livro “Heroínas Negras Brasileiras” em uma casa de Jazz localizada em São Paulo/SP.

Em Abril de 2018 lançou o selo literário Ferina, assumindo a posição de curadora. Em parceria com a editora Lizandra Magon de Almeida, da Pólen Livros, montou um Conselho Editorial com 11 mulheres diversas, marco inédito no mercado editorial brasileiro. As 11 integrantes do Conselho Editorial do selo Ferina são: Cidinha da Silva, Estela Rosa, Heloisa Buarque de Hollanda, Jaqueline Gomes de Jesus, Jessica Balbino, Juliana Gomes (Juju), Márcia Wayna Kambeba, Neide A. de Almeida, Raquel Matsushita, Simony Cristina dos Anjos e Valentina Fraiz. O Conselho Editorial trouxe representatividade negra, indígena, nipo-descendente, trans, etária, acadêmica e não acadêmica, além de especialistas em diferentes áreas do livro, como design e ilustração.

O evento de lançamento do selo Ferina aconteceu na livraria Blooks do shopping Frei Caneca, em São Paulo, sendo planejado como surpresa. Para contemplar o maior número de pessoas, independente de local e horário, uma transmissão ao vivo foi realizada e disponibilizada em gravação para acesso ilimitado posteriormente. Convidados compareceram ao evento, especialmente mulheres e jornalistas de sites e blogs voltados para a literatura e apoio de projetos femininos e feministas.

Em Julho de 2018, Jarid Arraes lançou seu primeiro livro de poesia, “Um buraco com meu nome”, publicado pelo selo Ferina. O livro foi apresentado pela primeira vez durante a FLIP (Festival Literário Internacional de Paraty) e lançado em Agosto de 2018 em São Paulo, na Livraria Blooks do Shopping Frei Caneca. A autora foi também a responsável pelas ilustrações de sua obra.

Seu livro “As Lendas de Dandara” foi traduzido para o francês e publicado em outubro de 2018 na França, sob o título de “Dandara et les esclaves libre” pela editora Anacaona. Jarid esteve em turnê de lançamento em cidades na França e participou de eventos em Paris, na Maison de l’Amérique latine, em Rennes, em La Rochelle, no Musée du Nouveau Monde, e em Lille, na Le Bateau Livre, além de ter visitado liceus e universidades.

Já colaborou com diversos portais e revistas, entre eles a revista Caros Amigos e a revista Blooks, teve poesias publicadas em veículos como a Revista Parênteses e a Revista Gueto e escreveu cordéis em parceria com ONGs como a Artigo 19.

Precisa de fotos da autora? Utilize as fotos da página www.jaridarraes.com/sobre

Entrevistas

Para ler mais, navegue pelas matérias e entrevistas disponíveis abaixo:

Leia Mulheres:

Entrevista: Jarid Arraes https://leiamulheres.com.br/2018/07/entrevista-jarid-arraes/

Mulheres que escrevem:

Mulheres que Escrevem entrevista Jarid Arraes https://medium.com/mulheres-que-escrevem/mulheres-que-escrevem-entrevista-jarid-arraes-1183a073b30f

Alpaca Press:

Entrevista com Jarid Arraes http://www.alpacapress.com.br/entrevista-jarid-arraes/#.WDLwIH1N_By

Suplemento Pernambuco:

Jarid Arraes: a mulher negra no centro do cordel http://www.suplementopernambuco.com.br/entrevistas/1734-jarid-arraes-e-a-mulher-negra-no-centro-do-cordel.html

SESC São Paulo:

Entrevista: A Literatura também é espaço para o protagonismo feminino: http://www.sescsp.org.br/online/artigo/9840_LITERATURA+TAMBEM+E+ESPACO+PARA+O+PROTAGONISMO+FEMININO#/tagcloud=lista

Afreaka

Escritora negra Jarid Arraes fala sobre sua obra e influência nordestina: http://www.afreaka.com.br/notas/escritora-negra-jarid-arraes-fala-sobre-sua-obra-e-influencia-nordestina/

Bobagens Imperdíveis

Entrevista “Escrevo para honrar minha ancestralidade”: http://us10.campaign-archive1.com/?u=c723e6a4d69df12ba83723333&id=ec77007beb&e=1960f9af32

Revista Capitolina

Entrevista com Jarid Arraes: http://www.revistacapitolina.com.br/entrevista-com-jarid-arraes/

A Lenda de Jarid, Dandara e as guerreiras de nossa terra: http://www.revistacapitolina.com.br/lenda-de-jarid-dandara-e-das-guerreiras-de-nossa-terra/

Carta Capital

Entrevista ““Escrevo para honrar minha ancestralidade”: http://www.cartacapital.com.br/cultura/jarid-arraes-201cescrevo-para-honrar-minha-ancestralidade201d

Brasil de Fato

Feminismo em cordel: http://www.brasildefato.com.br/node/29979

Revista TPM

Cordelista e feminista: conheça Jarid Arraes, uma voz de protesto contra a opressão: http://revistatrip.uol.com.br/tpm/cordelista-e-feminista-conheca-jarid-arraes-uma-voz-de-protesto-contra-a-opressao

Brasis

Jarid Arraes: mulher negra e cordelista http://brasis.vc/rapadura/jarid-arraes-mulher-negra-e-cordelista/

No Brasil

De Juazeiro do Norte, é Jarid Arraes a escritora que nos representa: http://nobrasil.co/do-juazeiro-do-norte-e-jarid-arraes-a-escritora-que-nos-representa/

Confeitaria

Entrevista com Jarid Arraes: http://confeitariamag.com/fabianesecches/jarid-arraes/

Portal Perscrutando

Entrevista com a escritora Jarid Arraes: http://www.portalperscrutando.com/2015/04/06/entrevista-com-a-escritora-jarid-arraes/

Diário de Pernambuco

Entrevista comigo sobre meu livro As Lendas de Dandara: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/divirtase/46,51,46,61/2015/11/20/internas_viver,611585/dandara-simbolo-de-forca-da-mulher-negra-tem-a-vida-narrada-em-livro-critico-ao-racismo-e-machismo.shtml

UOL Educação

Como cordéis estão sendo usados para debater questões sociais nas escolas: https://educacao.uol.com.br/noticias/2017/01/05/como-cordeis-estao-sendo-usados-para-debater-questoes-sociais-nas-escolas.htm

jarid arraes * jarid arraes biografia *